Sabe o que é essencial a uma empresa?

Compromisso e propósito. Os colaboradores que constituem uma equipa de excelência, devem lutar pelo extra mile e derrubar barreiras, de modo a termos diariamente um desempenho excepcional.

Por Carla Rebelo, directora-geral Adecco Portugal

 

Todos nós conhecemos os exemplos: aquele nosso colaborador que explora todas as hipóteses de forma exaustiva para satisfazer o cliente ou aquele colaborador para quem o “não” é sempre a solução.

A selecção de pessoas apaixonadas e a construção de equipas de high performance são essenciais. Alguns dos desafios que se impõem aos departamentos de Recursos Humanos actualmente traduzem-se em complementar, confiar e respeitar, o que possibilita o trabalho de equipa sem conflitos. Na verdade e na minha opinião, como directora do Grupo Adecco uma das grandes forças decisivas é desafiar as minhas equipas para que proporcionem um desempenho excepcional.

No entanto, senão tivermos um objectivo, até a melhor equipa é equiparada a um atleta sem destino, sem rumo. Estudos mostram que os funcionários de empresas com grandes propósitos assumem três vezes mais o seu compromisso para com a empresa. Para além disso, as pessoas mais comprometidas, não são só as mais divertidas para trabalhar, mas também oferecem melhores resultados. Acredito que o desempenho vem de pessoas talentosas, desde que estejam num ambiente disciplinado e apoiadas por processos bem definidos e estruturas que lhes permitam concentrar-se totalmente nos seus objectivos.

A minha experiência é baseada em inúmeros estudos que contemplam o valor do pessoal contratado, quer em termos de relações laborais, produtividade ou satisfação do cliente. Em países que sofrem de escassez de competências ou desafios demográficos, a necessidade de engagement é fundamental, uma vez que existe uma necessidade de garantir talentos no meio de recursos humanos cada vez mais escassos.

Sabemos que as pessoas que se encontram mais envolvidas são mais bem-sucedidas e que tudo pode desmoronar graças a funcionários menos dedicados ou menos leais. É necessário obter, manter, crescer, capacitar e inspirar o nosso talento de hoje e de amanhã. E é por isso que temos de dar prioridade à formação e ao desenvolvimento dos nossos colaboradores. Quando somos confrontados com o mau atendimento ou com os maus resultados, é mais fácil apontar o dedo a um indivíduo, no entanto, a maior parte das vezes, a verdadeira culpa está noutro lugar…

 

Fonte: HR Portugal

TOP