Quais os sectores que mais vão contratar até ao fim do ano?

O ManpowerGroup Employment Outlook Survey para o quarto trimestre de 2017 revela que a contratação irá continuar a crescer em Portugal, embora de forma mais moderada do que no trimestre anterior. Saiba quais os sectores que mais vão contribuir para a criação líquida de emprego.

 

 

O ManpowerGroup Employment Outlook Survey para o quarto trimestre de 2017 foi realizado com base num inquérito a uma amostra representativa de 625 empregadores em Portugal, que revelam intenções de contratação moderadas para o quarto trimestre de 2017. Sendo que 9% prevêem um aumento, 6% antecipam uma redução e 82% consideram que não haverá alterações nos níveis de contratação. A projecção para a criação líquida de emprego situa-se nos 3%.

Os empregadores de seis dos nove sectores de actividade em estudo antecipam uma subida do volume de contratação no decorrer do próximo trimestre. As perspectivas mais favoráveis são reportadas no sector de Finanças, Seguros, Imobiliário e Serviços e no sector de Comércio Grossista e Retalhista, ambos com uma projecção para a criação líquida de emprego de 9%. O sector de Indústria prevê índices de contratação positivos em 5%, enquanto a projecção dos sectores Público e de Transportes, Logística e Comunicações é de 4%. Por outro lado, o sector de Restauração e Hotelaria projecta um decréscimo de 4%.

Na comparação com o trimestre anterior, as perspectivas de contratação decrescem em oito dos nove sectores de actividade. Um decréscimo acentuado de 33 pontos percentuais é previsto pelo sector de Restauração e Hotelaria, sendo que também a projecção para o sector de Finanças, Seguros, Imobiliário e Serviços recua 14 pontos percentuais. As intenções de contratação diminuem também, 10 pontos percentuais, tanto no sector de Transportes, Logística e Comunicações como no sector de Comércio Grossista e Retalhista, e seis pontos percentuais, nos sectores de Agricultura, Florestas e Pescas, Construção e Público. No sector de Indústria as perspectivas de contratação mantêm-se relativamente estáveis.

Os empregadores das três regiões em estudo esperam níveis de contratação positivos durante o período entre Outubro e Dezembro deste ano. A previsão de contratação mais acentuada assinala-se no Norte, onde os empregadores reportam uma projecção de criação líquida de emprego de 5%. Na região Centro é prevista uma pequena subida, na ordem dos 4% e na região Sul projecta-se uma alteração muito cautelosa, embora favorável, de 1%.

As intenções de contratação recuam nas três regiões, face ao trimestre anterior, assinalando-se particularmente o recuo de 20 pontos percentuais na região Sul. No Centro a previsão decresce sete pontos percentuais e no Norte cinco pontos percentuais.

Nuno Gameiro, country manager da ManpowerGroup Portugal faz notar que estes resultados «espelham a sazonalidade da economia em Portugal. Após os meses de verão, muito marcados por um aumento do consumo e estimulado pela indústria hoteleira, assistimos a uma projecção de criação líquida de emprego na ordem dos 3%. Este resultado representa um decréscimo de 9% face ao trimestre anterior e representa igualmente a estabilidade da economia Portuguesa quando comparado com o período homólogo do ano passado», sublinha, acrescentando: «O desafio para o sector dos Recursos Humanos consiste em ter capacidades que permitam identificar as competências certas e mapear o talento disponível, de maneira a garantir o sucesso dos processos de recrutamento.»
As projecções para a criação líquida de emprego apontam para um crescimento maior, de 8%, nas pequenas empresas e um crescimento de 6% e 3%, respectivamente nas médias e nas grandes empresas. As microempresas não projectam alterações na contratação prevendo 0% de criação líquida de emprego.

Resumo das principais conclusões:

– A dinâmica do mercado de trabalho em Portugal irá abrandar entre Outubro e Dezembro, tendo os empregadores projectado uma criação líquida de emprego de +3%;

– Os empregadores de seis dos nove sectores de atividade e das regiões em estudo antecipam uma subida do volume de contratação no decorrer do próximo trimestre;

– Dos nove setocres de actividade em estudo, a melhor projeção (+9%) é reportada a: Finanças, Seguros, Imobiliário e Serviços; e Comércio Grossista e Retalhista;

– Os empregadores do Norte revelam as intenções mais acentuadas de contratação na comparação regional (+5%);

– Perspectiva-se que o volume de contratação aumente em três das quatro categorias de dimensão de empresa durante o último trimestre de 2017, com destaque para as pequenas empresas (+8%).

– As conclusões apontam para que, em 42 dos 43 países participantes, a contratação prossiga em terreno positivo neste quarto trimestre. Apenas os empregadores na Suíça não preveem alterações na criação líquida de emprego.

Os dados completos de cada um dos 43 países e territórios incluídos no inquérito do quarto trimestre de 2017, bem como as comparações regionais e globais, podem ser consultados na íntegra em www.manpowergroup.com/meos.

 

Fonte: HR Portugal

TOP